Arequipa, Cidade Branca do Peru

Conheça nossa praça principal de Lima

Exemplo de colonização espanhola, Arequipa tem espetaculares conjuntos arquitetônicos que trazem conhecimento histórico ao turista que se interessa por arquitetura. Apesar de pouco conhecida, vale a pena visitar esse destino, principalmente quem aprecia a arte e o estilo de suas diversas mansões e igrejas.

Rodeada pelos vulcões El Misti, Chachani e Picchu Picchu, fica a mil quilômetros ao sul de Lima, e sua paisagem é de longe uma deslumbrante vista para as montanhas. É também uma cidade alta, com 2.325 metros de altitude, e local de temperatura agradável e céu aberto. Ainda tem um importante registro por seu charme europeu: é nomeada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Fundada em 1540 pelo tenente Garcí Manuel de Carbajal, inicialmente teve o nome de Villa Hermosa de Arequipa. O nome é dado pela expressão quéchua Ari-Quipay, que significa “Detrás do topo”, em referência ao vulcão Misti, que fica mais próximo dessa conhecida por muitos, como Cidade Branca.

Veja os pontos turísticos de Arequipa

Agencia Viagens Machu Pichu no Peru
Arquitetura colonial da Cidade Branca de Arequipa.

Por que Cidade Branca?

Suas construções foram, quase que no total, feita por um tipo de pedra vulcânica porosa na cor branca, um tipo de argila chamada silla. Seus grandes prédios coloniais e casarios foram todos feitos dessa silla que dão um ar de clareza à cidade.

É caracterizada pelas construções religiosas com decoração curvada como abóbodas interiores que mais parecem com conventos. As fachadas são altas como a igreja da Companhia de Jesus e a igreja de Santo Domingo.

Agencia Viagens Machu Picchu no Peru
Arequipa, catedral principal da cidade branca do Peru

O imponente Misti

Estar em Arequipa é estar em contato com obras espetaculares, mas uma dessas obras não foi o homem quem fez: o Vulcão Misti. Ele é um dos sete vulcões ativos localizados no sul do Peru e tem 5.822 metros de altitude. Observá-lo de longe torna a vista agradável.

Estudos dizem que ele tem cerca de 800 mil anos de idade, e esteve em erupção entre os anos de 1440 e 1450. À época, o Túpac Yupanqui, um dos últimos governantes da era Inca, fazia suas orações (súplicas) para que o vulcão voltasse a calmaria.

Esse é o mais próximo vulcão, mas não é único. Tem também o Picchu Picchu, e o Chachani. Esse último, é o mais alto da América Latina.

A praça central do bairro de Yanahuara é um excelente mirante para contemplação da paisagem desses vulcões. Além disso, você pode degustar o “Queso Helado Charito”, um famoso sorvete, em formato de queijo (daí o nome), com sabor de baunilha com canela. A história curiosa dessa sobremesa é que o gelo que prepara o sorvete é trazido do alto de um desses três vulcões. Não deixe de experimentar!

Praça e Catedral principais

O ponto de partida para conhecer essa cidade é mesmo a Praça Principal de Arequipa, que é considerada uma das mais bonita do Peru. Ela é bem ornamentada e arborizada com palmeiras. Conhecida também por Praça de Armas de Arequipa, abriga portais em estilo neorrenascentista feitos em granito.

Um gracioso lugar para passear e descansar em seus bancos apreciando a fachada da Catedral de Arequipa toda feita em silla. Construída em 1621, e reconstruída em 1868 após sua destruição por vários terremotos, que são comuns da região, a Catedral foi o primeiro monumento religioso da cidade. Não deixe de visitar essa que é a maior e mais importante catedral do Peru, com suas doze colunas feitas em mármore, que representam os doze apóstolos de Jesus.

Mosteiro de Santa Catalina

É uma das principais atrações de Arequipa, e é um grande complexo que ocupa um quarteirão inteiro. Estar lá dentro é se sentir em uma pequena cidade, de tão enorme espaço que ocupa.

Como a maioria das construções da cidade, também passou por diversas reconstruções devido aos abalos dos terremotos. Mas sua primeira construção data de 1580, e uma de suas reconstruções, em 1660, manteve o projeto original da capela.

Também feita em silla, sua arquitetura tem fusão da arte indígena e espanhola do período colonial, que conta a história da cidade. Tem uma longa nave e seu altar é adornado com motivos religiosos.

Para finalizar, passe pela Companhia de Jesus, construção erguida em 1573, e reerguida em 1584 devido aos terremotos. Tem uma fachada imponente com decoração estilizada com a fauna e a flora locais, e molduras esculpidas com as figuras de Jesus, Maria e José.

veja aqui a artesania no Peru e confira nossos pacotes.

 

Maior mosteiro do sul do Peru
Monastério Santa Catalina em Arequipa

Deixe uma resposta