Turismo comunitário: o que é e como é desenvolvido no Peru?

O que você busca quando escolhe um destino para viajar? Conhecimento cultural e histórico? Paisagens naturais estonteantes? Aventura? Pois saiba que muita gente busca um conhecimento vivencial, ou seja, sentir na pele, digamos assim, como é a vida e o cotidiano das pessoas que vivem no lugar escolhido para passar não apenas uma férias, mas procuram entender as diversidades que o planeta Terra oferece.

E, em uma nação com tantos atrativos naturais, turísticos e históricos como o Peru, não há como guardar em sua memória, apenas as belas vistas para montanhas e praias, ouvir os contos sobre os complexos arqueológicos ou conhecer como determinada construção foi feita.

O turismo vivencial, ou comunitário, é forte no Peru, e seu objetivo é desenvolver áreas remotas e democratizar a distribuição de renda nesse país. O povo peruano tem realizado projetos comunitários para que o visitante desse destino não seja só um coadjuvante da viagem que realiza pelo território peruano, mas um ativo tanto para ele mesmo, como para essa população.

Com isso, municípios mais rurais ou os que estão pouco mais afastados dos grandes centros, podem crescer financeiramente, levando maior conhecido cultural ao público interessado em não apenas ver com os próprios olhos, mas em experimentar, em sentir com o corpo e com a alma.

Como funciona?

Blog Viagens Machu Picchu_Peru_Turismo_Comunitário

Há uma mobilização de todo o povoado da região para que a participação seja geral, privilegiando o intercâmbio cultural e proporcionando experiências de vida que poucas pessoas se interessam, mas que, ao chegarem no local, sairão de lá com um outro olhar, tanto do lugar como da vida.

Sem deixar as atividades tradicionais de lado, o povo ajuda a aumentar a atividade econômica local como por exemplo, passeios por rotas diferentes, venda de artesanatos nativos de alta qualidade ou participação do turista em festas ou cerimônias tradicionais.

Com isso, ocorre naturalmente, maior promoção do destino, aumentando cada vez mais o número que turistas curiosos de vivenciar situações diferentes das que estão acostumados, proporcionando a eles um enriquecimento cultural muito grande, e, para a comunidade, as melhorias necessárias para sua existência.

Veja aqui passeios de aventura no Peru.

Exemplos de turismo comunitário no Peru

Blog Viagens Machu Picchu_Peru_Turismo_Comunitário

Há muitos exemplos de turismo comunitário no Peru, porém vamos comentar aqui, 3 destinos peruanos incríveis, que têm ações e projetos bem desenvolvidos para essa prática.

– Cusco

Blog Viagens Machu Picchu_Peru_Turismo_Comunitário

Essa cidade é a mais procurada para turismo no Peru, por toda sua história e ligação com a civilização e cultura Inca. Porém, além das atividades turísticas corriqueiras, algumas comunidades oferecem ao turista, atividades nada convencionais, como por exemplo a Canchis, que faz o turismo de aventura ficar ainda mais interessante por rotas diferentes, as quais combinam aventura e natureza. É possível realizar pesca artesanal e ouvir contos e lendas desse povoado com ancestrais tão peculiares.

É possível também, em povoados como Maras ou Calca, participar das tarefas agrícolas, plantando e colhendo frutos e legumes nativos, além de aprender como fazer objetos em cerâmica, palha ou têxteis com tecelagem e tingimentos.

– Ancash

Blog Viagens Machu Picchu_Peru_Turismo_Comunitário

A Cordilheira Blanca oferece incríveis aventuras, e as experiências vivenciais desse lugar podem ser por meio da LlamaTrek, um trekking com llamas, animais típicos do Peru que levam os turistas por caminhos de grau de dificuldade alto, passando por lindas paisagens e conhecendo trilhas, templos e lagoas de coloração turquesa magnífica no Parque Nacional Huascarán.

– Lago Titicaca

Blog Viagens Machu Picchu_Peru_Turismo_Comunitário

O Lago Titicaca é o maior e mais alto lago navegável do mundo. Só isso já impressiona, mas sua história tem características ainda mais emocionantes como por exemplo que ele possui mais de 50 ilhas artificiais, feitas de totora, um tipo de palha que cresce à beira do lago, e são bem presas às suas próprias raízes.

Nessas ilhas, vivia a civilização dos Uros, antes mesmo da chegada dos Incas, e que hoje, ainda são morada de um povoado muito tradicional. O turismo comunitário nessas ilhas é uma autêntica experiência rural, com acomodações ecológicas, com bangalôs privados, construídos também de totora, mas com camas e travesseiros muito confortáveis.

Os chuveiros têm água quente por meio da energia solar que alimenta toda a ilha, e o turista participa de todas as atividades cotidianas locais, como a pesca, a colheita de totoras, passeios com os barcos também feitos da totora, aprendizagem de artesanato e participando de festividades típicas aprendendo as músicas e danças, além de vestirem as roupas tradicionais.

Veja aqui a gastronomia no Peru.

Deixe uma resposta