Salineiras de Maras – o sal que brota do Peru

Um país milenar como o Peru carrega representações marcadas pelas civilizações que lá fizeram morada, mesmo antes do poder Inca instalado por mais de um século da história peruana. História essa, destacada por culturas cheias de mistérios e encantos, vivenciadas no território vasto e rico em belezas naturais.

O Peru surpreende a cada caminhada, principalmente pelos imponentes monumentos que fizeram dos Incas, uns dos melhores engenheiros e arquitetos do mundo. As técnicas estruturais que essa civilização mostra, são lições para muitos profissionais dessas áreas, e ganham beleza quando estão em meio a natureza exuberante como as encontradas em todo o território peruano, principalmente no Vale Sagrado dos Incas.

Salineiras de Maras - o sal que brota do Peru

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Vale Sagrado dos Incas abriga as principais dessas construções, e geralmente, um roteiro de viagens pelo Vale, inclui visitas interessantes aos maiores complexos arqueológicos de origem Inca, como Sacsayhuaman, Ollantaytambo, Pisac, Qenqo, Tambomachay, Puka Pukara e outros.

Um desses sítios, bastante curioso pela sua forma, é Moray, localizado na província de Urubamba, no povoado de Maras. Suas plataformas são circulares e concêntricas, ou seja, formam climas diferentes entre um terraço e outro, perfeitos para boa produção agrícola.

Salineiras de Maras - o sal que brota do Peru

Maras fica a cerca de 50 quilômetros ao norte da cidade de Cusco, e, é onde também estão localizadas as impressionantes Salineiras, outra obra monumental dos Incas, formadas com a ajuda da natureza, uma vez que se estendem por uma imensa montanha.

Confira nossa materia completa da Montanha Colorida do Peru.

Salineiras de Maras

Salineiras, salinas, minas de sal, tanques de sal, são todas as nomenclaturas conhecidas desse lugar de importante produção natural de sal, para o Peru. Localizadas a 3.380 metros de altitude, em um terreno inclinado sobre uma montanha, esses tanques formam lindas piscinas de águas brancas que, quando vistas de cima, formam uma vista maravilhosa!

Salineiras de Maras - o sal que brota do Peru

Projetadas pelo famoso sistema de terraços das concepções incaicas, são aproximadamente 3 a 4 mil bancos de sal, cada qual com cerca de cinco metros quadrados, que ao evaporar das águas, o sal cristalizado é produzido.

De onde vem essa água salgada? Surge de uma fonte, um córrego que foi canalizado subterraneamente, ainda na época dos Incas, por onde descem o monte, e se acumulam nos tanques por um período, separados por estágios de produção, até que possam ser extraídos. Cada extração é comercializada de uma forma, sendo a primeira etapa para o consumo humano, a segunda etapa, para o consumo animal, e a terceira para produção de cosméticos.

Por isso, essas Salineiras são de grande importância econômica para o país, uma vez que produzem sal que abastecem não só toda a região da província de Cusco, mas também é exportado para outros países. Cerca de 200 famílias exploram essas salinas, com o trabalho de retirada e venda de grandes sacas de sal na região.

Salineiras de Maras - o sal que brota do Peru

Essa é uma fonte de renda não apenas pela produção do sal, mas também para o turismo, em virtude da região fazer parte do vasto e mítico território do Vale Sagrado dos Incas, oferecendo paisagens esplendorosas e visitação fascinante. Para visitá-las, o turista paga em torno de 10 soles, comprando o ingresso na hora para aproveitar o passeio por entre os tanques.

Essa visita é agradável, visto que pode-se observar linda região de montanhas do vale, os tanques cheios, pessoas trabalhando na extração, os pequenos canais onde correm as águas, podendo também tocar e provar o sal. Muito cuidado para não escorregar e tomar um banho de água salgada, ainda que sejam águas quentes!

Confira nossas opções de roteiros e pacotes para Machu Picchu

 

Deixe uma resposta