CORONAVIRUS: VEJA AS RECOMEDAÇÕES PARA QUEM TEM VIAGEM MARCADA PARA O PERU!

O mundo todo está em alerta por conta do Covid-19, levando em consideração a sua alta taxa de transmissão. Como todos estão falando: todo cuidado é pouco para não entrar nas estatísticas de pessoas com o vírus.

Mas, neste post, não viemos falar especificamente do vírus e sim como ele está afetando o turismo no Peru e o que você, como cliente, pode fazer para ajudar nesta situação. Também vamos passar orientações importantes para quem está com viagem marcada para o país milenar dos incas, sobre cancelamento e remarcação das mesmas. Vamos lá?

O que você precisa saber sobre o coronavirus no Peru:

Até o momento, dia 16/03/2020, foram confirmados 86 casos da doença no país, sendo que destes, aproximadamente 60 foram diagnosticados em Lima, a capital do país.

Fato este que levou o presidente, Martín Vizcarra, a tomar algumas medidas preventivas como uma tentativa de diminuir o número afetados pelo vírus no país e melhorar o turismo em um futuro próximo. Martín Vizcarra decretou o fechamento das fronteiras do Peru até o final do mês, dia 31/03. Ou seja, nenhum estrangeiro poderá entrar no país pelos próximos 15 dias. Além disso, orientou a população a sair apenas em momentos essenciais, suspendendo inclusive as aulas, bares, casa de shows, restaurantes, enfim, todo lugar em que se possa aglomerar pessoas.

A cidadela de Machu Picchu também encerrou as visitações por alguns dias e todos os visitantes estão retornando para Cusco. Esperamos por ordens do governo peruano e nos matemos informados, afim de tranquilizar e orientar todos os nossos passageiros. Reafirmamos que esta é uma situação temporária e preventiva.

Como esta é uma medida que afeta diretamente o trabalho da Viagens Machu Picchu e seus clientes, viemos aqui para esclarecer algumas situações e passar as orientações para todos os passageiros que planejaram a viagem para o Peru com a nossa equipe ou que ainda sonham em conhecer Machu Picchu. Olha só:

PREVENÇÃO – TURISMO SEGURO:

  • PREVENÇÃO: como dito acima, o presidente do Peru, Martín Vizcarra, fechou as fronteiras do país por 15 dias como forma preventiva, com o intuito de diminuir o número de casos de contaminação pelo coronavírus no Peru. Mas precisamos dizer: não se preocupe! A medida foi tomada justamente para manter o país seguro e para que, em breve, as atividades possam voltar a ser realizas normalmente no país. Outros países já decretaram o fechamento das fronteiras anteriormente. Sabemos que isso causa transtorno e mexe diretamente com o setor de turismo, mas também entendemos que é uma ação necessária e temporária. Sim, temporária! No início do mês de abril o turismo no Peru volta a operar normalmente, na medida do possível. Dizemos “na medida do passível”, pois obviamente muitos cuidados ainda terão que ser tomados, pois precaução nunca é demais. As operações de trem para Machu Picchu e outros destinos do Peru também ficarão suspensas, bem como a venda de ingressos para a cidadela. Ao que tudo indica, voltam a funcionar no início do mês de abril. Até lá, mantemos o contato com os nossos clientes e nos colocamos a disposição para solucionar a situação de cada um. Portanto, mantenha a calma e vamos juntos enfrentar esta condição.

 

  • NÃO CANCELE SUA VIAGEM: nossa recomendação é que os passageiros com viagem planejada, REMARQUEM para outra data, de preferência a partir do mês de maio, tendo em vista que o turismo no Peru voltará a operar dentro de alguns dias. É importante saber que as remarcações não têm custo nenhum, até mesmo a sua visita em Machu Picchu poderá ser remarcada sem nenhuma despesa extra. Além disso, caso você não tenha data específica para remarcar, poderá deixar a data em aberto, para qualquer dia do ano de 2020. É só entrar em contato com a nossa equipe que passamos todas as informações necessárias e reagendamos a sua visita no país milenar dos incas. Sabemos que é algo imprevisível e que o consumidor tem o direito de remarcar ou cancelar a viagem. Mas cabe a todos, juntos, agir para melhorar a situação atual. Não cancele o seu sonho, apenas deixe-o para mais tarde.

 

  • OPORTUNIDADE: toda crise traz com ela algumas oportunidades, isto é fato. Pensando pelo lado positivo da situação, neste caso, os passageiros têm a chance de comprar passagens aéreas até 4x mais baratas para viagens futuras. Isso mesmo! Aproveite para marcar sua viagem para os meses seguintes e economize! Além disso, muitas companhias aéreas também estão facilitando a remarcação dos voos, sem custo algum, diante desta situação, portanto você pode garantir um melhor preço e, em caso de imprevistos, mudar a data do voo. Isto vale para pessoas que tem viagens marcadas para os próximos 60 dias. Além dos voos, os hotéis também estão reagendando sem custos extras. Mas, segundo informações da Senacon, é importante levar em conta o destino, a temporada e a tarifa dos serviços contratados. Para saber mais, acesse o site da Agência Brasil.

 

  • PROMOÇÃO: nós, da Viagens Machu Picchu, também facilitamos para que você realize o sonho de conhecer Machu Picchu. Congelamos o dólar a R$ 4,50 para viagens para o Peru que ocorram depois do mês de maio, em pacotes com hospedagem, para que você também economize nos passeios. Esta promoção é válida apenas na compra de novos pacotes e não para aqueles que já foram contratados. Não perca está chance! Estas foram as nossos recomendações e dicas para quem está com a viagem para o Peru marcada. Saiba também, que, independentemente da data escolhida para viajar, seja nestes meses próximos ou para mais tarde, nossa equipe está à disposição para tirar todas as dúvidas de todos os clientes, pois sabemos que esta é uma situação que causa incertezas em todos.

Nossa última recomendação, por fim, é esta: sem pânico! Fique tranquilo, entre em contato com nossos consultores para qualquer informação que necessite. Temos certeza que esta é apenas uma fase e que juntos, com consciência e cooperação, podemos enfrentá-la da melhor forma! Continue lendo nosso blog para saber mais sobre viagem para Machu Picchu e Peru.

Deixe uma resposta