Regras para entrada a Machu Picchu 2022

Quando viajantes de qualquer lugar do mundo param para refletir sobre o Peru, a primeira imagem associada a este destino é da esplendorosa cidadela de Machu Picchu que, sem sombra de dúvidas, é o cartão postal desse país que é um dos mais procurados da América do Sul, tornando-se uma verdadeira joia do continente. 

Chegar ao local que abriga esta construção representativa do legado Inca tornou-se o sonho de inúmeras pessoas ao longo do tempo, uma vez que não só sua beleza arquitetônica é encantadora, como todo o misticismo e as maravilhas naturais que a cercam são elementos essenciais para tornar este um dos principais atrativos do Peru. 

Não à toa, este santuário histórico tornou-se um Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, mais conhecida como UNESCO, desde o ano de 1983. Além disso, há um outro reconhecimento que torna Machu Picchu um local tão desejado: fazer parte da lista das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. 

Por isso, ressaltamos sempre que vale a pena todo o esforço empreendido pelos viajantes para conhecer este museu a céu aberto e todo o seu arredor cercado por cenários fascinantes. Este cartão postal peruano chega a receber cerca de 1,5 milhão de visitantes por ano e com toda a sua relevância para a história do Peru e do mundo, medidas de preservação são extremamente importantes. 

Pensando nisso, resolvemos trazer uma matéria especial para ajudar e guiar os futuros turistas do Peru a programarem sua visita a Machu Picchu sem esquecer de nenhum detalhe, já que, assim como você, desejamos que todo este momento ocorra da maneira perfeita e seja inesquecível.

Saiba tudo que você precisa para visitar a antiga Cidadela de Machu Picchu, nas proximidades de Aguas Calientes, com este post, mas antes conheça um pouco mais sobre este destino espetacular!

Conheça Machu Picchu

A Cidadela de Machu Picchu, como você já deve saber, foi construída pela poderosa civilização Inca, no período em que seu império estava em seu auge. Estima-se que sua construção tenha ocorrido entre o século XV e o século XVI, entretanto, a vida do funcionamento desta cidadela não foi além de 100 anos.

Apesar dos motivos não serem claros, sabe-se que Machu Picchu foi abandonada pelo povo que havia se estabelecido no local, e algumas teorias indicam a possibilidade deste acontecimento ter sido desencadeado por alguma questão sanitária, como uma epidemia, por exemplo.

Após séculos escondida de forasteiros, este santuário histórico foi (re)descoberto por Hiram Bingham, no ano de 1911, durante sua expedição justamente com este propósito, onde teve auxílio de uma criança, moradora da região, para chegar até a famosa construção Inca. Foi este pesquisador o responsável por divulgar a existência de Machu Picchu ao mundo.

Ao longo do período desde sua aparição para o mundo, esta cidadela tem sido pesquisada e, com todas as escavações realizadas no local, pode-se chegar à conclusão de que este local abrigava entre 300 e 1.000 pessoas em um ambiente de paz e com atividades voltadas à cerâmica, cultura têxtil, agricultura e também religião.

Toda a estrutura da cidade foi planejada e dividida em áreas dedicadas a cada uma destas atividades, incluindo a área residencial. Além de todas as construções serem feitas, basicamente, de pedras e sem nenhum uso de argamassa, o terreno foi readequado às necessidades identificadas pelos Incas para a estabilidade das estruturas, uma vez que a região de Machu Picchu é propensa a sofrer com abalos sísmicos.

Além de visitar o santuário histórico dos Incas, neste atrativo também é possível se aventurar um pouco mais escalando as montanhas Machu Picchu ou Huayna Picchu e garantindo um visual único do cenário que abrange o principal ponto turístico do Peru.

Novas regras para visitar Machu Picchu

Como mencionado anteriormente, para que sua visita a Machu Picchu seja incrível e nada saia do controle, é necessário prestar bastante atenção em alguns detalhes relacionados às regras de visitação do atrativo e lembrar sempre que cada uma delas foi criada com o intuito de preservar este patrimônio histórico da humanidade para o futuro. Então, vamos lá descobrir um pouco mais sobre isso!

Como mencionado anteriormente, para que sua visita a Machu Picchu seja incrível e nada saia do controle, é necessário prestar bastante atenção em alguns detalhes relacionados às regras de visitação do atrativo e lembrar sempre que cada uma delas foi criada com o intuito de preservar este patrimônio histórico da humanidade para o futuro. Então, vamos lá descobrir um pouco mais sobre isso!

Documentos necessários para entrada

Para entrar no santuário de Machu Picchu é necessário apresentar o ingresso de entrada ao local, que é comprado antecipadamente, juntamente ao passaporte ou documento de identidade do visitante, o mesmo usado para realizar a reserva para entrar na cidadela Inca. 

É importante lembrar que, para controle de ingressantes, é necessário realizar a identificação de cada um dos visitantes. Além disso, os ingressos precisam ser comprados online ou em alguns locais autorizados na cidade de Cusco, visto que não há bilheteria na entrada de Machu Picchu.

Guia para Machu Picchu

É obrigatório entrar em Machu Picchu acompanhado por um guia de turismo oficial do local na primeira visita para a realização de qualquer circuito disponível no atrativo, embora não seja necessário para realizar as trilhas das montanhas Machu Picchu e/ou Huayna Picchu. 

O guia pode acompanhar grupos de no máximo 16 pessoas por vez, sendo responsável por acompanhá-los ao longo de todo o percurso escolhido pelos visitantes e cumprindo o tempo de permanência mínimo de 2 horas e meia (2h30) no atrativo.

Entretanto, a partir da segunda visita destes indivíduos é possível adentrar ao santuário sem acompanhamento, basta apresentar o ingresso anterior e registrar o nome do guia de turismo que o acompanhou inicialmente. 

A presença de um guia oficial é de suma importância para que você tenha uma experiência completa e conheça ao máximo cada detalhe por trás da história do legado dos Incas, além de tornar a visita muito mais interessante e produtiva, é importante lembrar da relevância do turismo para o desenvolvimento econômico dos destinos visitados, portanto, contratar este serviço é parte importante deste processo!

Horários e tempo de permanência

Os horários de entrada e o tempo de permanência em Machu Picchu também são regulamentados, com o objetivo de organizar a intensa visitação recebida diariamente. Ao longo de um dia somente 3.500 pessoas podem entrar no atrativo e os ingressos possuem horário previamente marcado.

Ao todo são 9 horários de entrada ao atrativo que variam em turnos de 1 hora de diferença entre cada um deles. Ou seja, é possível entrar no santuário a partir das 6 horas da manhã, no primeiro horário, e depois às 7h; às 8h; às 9h; às 10h; às 11h; às 12h; às 13h e, finalmente, às 14h, quando é o último horário.

O tempo de permanência máximo é de 4 horas dentro do atrativo, entretanto, esta configuração pode mudar de acordo com o tipo de ingresso escolhido por você. Por exemplo, no caso dos visitantes de outros atrativos, como Machu Picchu e montanha Huayna Picchu, os horários de entrada e permanência podem sofrer alterações.

Por isso, caso você esteja com dúvidas a respeito de horários, entre em contato com a Viagens Machu Picchu e vamos planejar juntos o seu roteiro de viagem ao Peru!

Sobre as proibições

As proibições relacionadas à permanência e entrada em Machu Picchu são divididas em objetos e comportamentais: 

Objetos proibidos

  • Mochilas ou bolsas com peso superior a 5kg.
  • Alimentos e bebidas alcoólicas.
  • Equipamentos de suporte para câmeras e celulares, como tripés ou bastões de selfie.
  • Aerossóis.
  • Alto-falantes, instrumentos musicais ou megafones. 
  • Banners ou pôsteres. 
  • Bengalas com ponta de metal. 
  • Substâncias ilícitas de qualquer ordem.
  • Carrinho de bebê. 
  • Peças com fins publicitários (bandeiras, roupas etc).

Comportamentos proibidos

  • Subir ou apoiar-se nas estruturas. 
  • Cometer atos imorais ou obscenos.
  • Provocar aglomerações, tumultos ou desordem.
  • Uso de drones, parapentes ou qualquer veículo para sobrevoar o local.
  • Uso de cigarros eletrônicos. 
  • Tomar rotas ilegais para entrar em Machu Picchu.
  • Poluição sonora (com música alta, gritos, aplausos, cantos etc).
  • Provocar fogo ou jogar resíduos no local. 
  • Sair das rotas e circuitos pré-estabelecidos. 
  • Filmar ou fotografar com fins de publicidade ou em locais perigosos. 

Consequências e penalidades

As consequência ao descumprimento de qualquer regra de Machu Picchu irá variar de intensidade de acordo com o grau da infração. Além da expulsão imediata do visitante, sem receber reembolso do ingresso, em alguns casos pode ocorrer a necessidade de envolvimento das autoridades judiciais do Peru e o banimento vitalício do visitante, que não poderá mais entrar em Machu Picchu sob nenhum aspecto.

Sabemos que conhecer Machu Picchu pode ser um grande sonho para muitos de nossos leitores, por isso, fazemos questão de reforçar a importância de seguir cada uma das regras propostas para que sua visita seja mais que um passeio, mas sim a consolidação de momentos inesquecíveis e memoráveis. 

Com isso, também existem muitos detalhes para se atentar ao longo da sua preparação para conhecer a antiga cidadela dos Incas, e nada melhor do que contar com uma operadora de viagens especializada em Machu Picchu para te ajudar em cada passo, não é mesmo?

A Viagens Machu Picchu possui os melhores pacotes para o Peru e muitos outros destinos incríveis nas antigas terras dos Incas, não deixe de conferir e vir realizar suas férias dos sonhos conosco!

Deixe uma resposta